ATIVIDADE FÍSICA NO CONTROLO DA DIABETES TIPO 2

Home>> Blogs>> ATIVIDADE FÍSICA NO CONTROLO DA DIABETES TIPO 2

ATIVIDADE FÍSICA NO CONTROLO DA DIABETES TIPO 2

  • Especial Médicos
  • 13 May 2021
  • 0

A Diabetes é uma doença caracterizada por hiperglicemia (glicose sanguínea elevada) resultante da ausência de secreção de insulina (tipo 1) ou redução da ação e produção de insulina (tipo 2).

A insulina é fundamental para o metabolismo dos hidratos de carbono, proteínas e gorduras, promovendo a entrada de glicose (açúcar) nas células, para a utilizar como fonte de energia. Assim, incapaz de entrar nas células, a glicose permanece na corrente sanguínea resultando num quadro de hiperglicemia (níveis elevados de glicose).

 

Na diabetes do tipo 2 geralmente existem dois problemas:

·   O pâncreas produz menos insulina do que seria necessário para o controlo adequado dos níveis de glicose;

·  A insulina produzida além de ser insuficiente, funciona mal. Os tecidos perdem a capacidade de reconhecer a presença da insulina, fazendo com que o açúcar presente no sangue não chegue às células. Este processo é conhecido como resistência à insulina.

 

Estima-se que em Portugal a prevalência de diabetes seja das mais altas da europa, com cerca de 10 a 13% da população com idade entre os 20 e 79 anos, sendo a obesidade, sedentarismo e predisposição genética as principais causas.  A diabetes mellitus tipo 2 é a forma mais frequente de diabetes: 9 em cada 10 diabéticos são do tipo 2.

As consequências da diabetes podem ser as seguintes:

  • Microvasculares (lesões dos vasos sanguíneos pequenos): retinopatia, nefropatia e neuropatia
  • Macrovasculares (lesões dos vasos sanguíneos grandes): doença coronária, doença cerebral, doença arterial dos membros inferiores e hipertensão arterial
  • Neuro, macro e microvasculares (incluem alterações de vasos sanguíneos pequenos, grandes e de nervos): pé diabético
  • Outras complicações: disfunção sexual, infeções etc.

 

 Importância da Atividade Física

 

Uma única sessão de atividade física moderada ou intensa reduz significativamente os níveis plasmáticos de glicose, este efeito persiste durante vários dias. Ao prolongar a frequência da atividade física semanal, para 170 minutos consegue-se aumentar a sensibilidade à insulina, assim esta torna-se mais eficiente na sua função. Os efeitos imediatos de cada sessão de atividade física, sobre os aumentos na sensibilidade à insulina dos músculos ativos, acarretam uma melhoria a longo prazo no controlo glicémico. Pelo contrário, num individuo sedentário, a sensibilidade à insulina diminui.

Assim a maior sensibilidade à insulina, com a atividade física regular, proporciona aos diabéticos tipo 2 uma importante “terapia”.

O treino de força, isolado ou em conjunto com exercícios aeróbios, diminui o risco de diabetes. Realizar treino de força pelo menos 30 min/dia, cinco vezes por semana, reduz até 34% o risco de desenvolver diabetes tipo 2. Combinar o treino de força, com atividades aeróbias num total semanal de 150-170 minutos reduz o risco até 59%.

Assim, a atividade física e alimentação saudável, tornam-se essenciais no controlo/prevenção desta doença, ajudando também na perda de peso, aumento da autoestima e bem-estar geral.

Comentários (0)
  • Nenhum comentário encontrado !!!
Deixe uma resposta

Você deve estar registado e logado para comentar

Login

A SUA CLÍNICA ESPERA POR SI

A Especial Médicos protege a sua saúde e promove o seu bem-estar.

Marcar consulta online Marcar consulta